07/11/2013

Aqui não



na mobília 
a ilha à qual me 
lanço náufraga 
de mim 
lenços e lenços e lenços 
em vão: só a janela 
me abriga 
os cantos continuam contando 
segredos de outra vida 
e eu cantando o lamento 
pelo ex corpo 
a corpo 
que aqui 
se deu 

se um dia você perguntar 
esse poema nunca 
mais

foi seu