05/08/2013

Carne de sereia



vou ter um filho num domingo
pra que a tarde não me emburreça
e não me entregue ao pretexto
esquecido na brecha do sofá.
(mesmo o cinza há de ser mais cinza)
e então o choro escorrendo pela casa
feito carne de sereia
até que seja segunda
e já não haja mais filho pra se ter
em canto nenhum do mundo.
amanhecem os simulacros cronometrados
e no entanto a verdade mantida entre os cílios:
eu nunca nasci pra ser gente
e fui,
ainda assim,
apesar
de
.